Património e Cultura

Núcleo de Casas Típicas

O Núcleo de Casas Típicas junto à Câmara Municipal de Santana é um espaço de preservação, ampliado pelo Município de Santana, em memória do património local. Aqui encontram-se algumas casas típicas de Santana, todas elas adaptadas ao contexto atual, onde é possível adquirir uma grande variedade de produtos locais, artesanais e tradicionais.

Para além deste núcleo, poderá observar estas Casas Típicas um pouco por todo o concelho.

Saiba mais sobre estas construções:
Casas de Colmo

Núcleo de Casas Típicas

Núcleo de Casas Típicas

Fontanário de Santa Ana

O Fontenário de Santa Ana, junto à Igreja Paroquial de Santana, está desde 2000 classificado como Monumento de Valor Local pela DRAC. Este fontanário foi inaugurado a 1 de junho de 1955 pelo então Presidente da República General Craveiro Lopes.

Fontanário de Santa Ana

Fontanário de Santa Ana

Fortim do Faial

O Fortim do Faial, construído no século XVIII, nunca foi considerado uma fortaleza, antes um local de vigia contra invasores. Atualmente, para além de ser um miradouro para os visitantes, é desde 1996 Monumento de Valor Local.

Fortim do Faial

Fortim do Faial

Igreja Matriz de São Jorge

A Igreja Matriz de São Jorge, edificada em 1761, é considerada o ex-libris do património edificado do concelho, por ser a maior igreja da Região de estilo barroco. Para além do seu porte grandioso, o seu interior possui um altar-mor em talha dourada e um belo conjunto de pinturas. Esta Igreja é, desde 1995, considerada Monumento de Valor Local, pela Direção Regional dos Assuntos Culturais (DRAC).

Igreja Matriz de São Jorge

Igreja Matriz de São Jorge

Núcleo Primitivo da freguesia de São Jorge

No calhau de São Jorge poderá encontrar o Núcleo Primitivo da freguesia de São Jorge. Estas ruínas pertencem aos antigos engenhos de cana-de-açúcar que lá foram construídos, no início do povoamento. Das antigas construções, o arco de entrada do calhau é das mais significativas. Todo este núcleo é classificado como Monumento de Interesse Municipal, desde 2003.

Núcleo Primitivo da freguesia de São Jorge

Núcleo Primitivo da freguesia de São Jorge

Moinho de Água

No sítio da Achadinha, em São Jorge, ainda funciona um moinho de água, que ilustra como a população utilizava a força motriz da água para a sua subsistência.Alimentado pelas águasda Levada do Rei, este moinho foi restaurado em 2000 pela Direção Regional dos Assuntos Culturais (DRAC).Ainda hoje a população recorre ao moinho de água para moer o milho.

Moinho de Água

Moinho de Água

Serragem da Achadinha

Localizada em São Jorge, no sítio da Achadinha, a poucos metros do Moinho de Água, encontra-se a única serragem movida a água em funcionamento na região. O visitante terá oportunidade de ver ao vivo as serras d’água e a roda motriz. A Serragem da Achadinha é considerada, desde 1998, Monumento de Valor Local pela Direcção Regional dos Assuntos Culturais (DRAC).

Serragem da Achadinha

Serragem da Achadinha

Farol de São Jorge

O Farol de São Jorge, localizado no sítio da Vigia em São Jorge, para além de servir de guia à navegação marítima, é também um local atrativo, de onde se avista a freguesia local, bem como a Achada do Gramacho e Pico da Boneca situados na vizinha Santana.

Farol de São Jorge

Farol de São Jorge

Capela de Nossa Senhora da Penha de França

Construída na freguesia do Faial, no século XVII, mais precisamente no ano de 1685, a capela da Penha, é uma pequena capela escavada num enorme penedo de cantaria avermelhada no sítio da Diferença.No seu interior podemos verificar a cobertura em abóboda de berço irregular e um pequeno altar de cantaria maneirista. Diz a tradição ter sido refúgio de escravos canários fugidos. Atualmente, a capela de Nossa Senhora da Penha de França é sede de uma romaria anual, que ocorre no terceiro domingo de outubro.

A Capela da Penha

Capela da Penha

Ponte Velha do Faial

A ponte foi construída no início do século XX para unir as duas margens da freguesia, separadas pela Ribeira do Faial e inaugurada em 1904. Conhecida como a “Ponte das sete bocas”, pelos seus 7 arcos, a ponte do Faial era a maior ponte da Madeira com um comprimento total de 130 metros. O mau tempo de 1 de maio de 1984, destruiu 4 dos 7 arcos que compunham a ponte, permanecendo o resto da estrutura como um marco histórico da freguesia e do concelho.

Ponte Velha do Faial

Ponte Velha do Faial