História

paisagem 01

Vista sobre Santana do Miradouro do Pico

Criado em 1832 e instalado em 1835, o Município de Santana foi extinto pelo Decreto de 10 de Dezembro de 1867, não sendo executado e restabelecido pouco depois. Esta extinção momentânea do concelho fez com que as freguesias do Faial e de São Roque do Faial passassem para o concelho de Machico e as freguesias do Arco de São Jorge e de São Jorge para o concelho de São Vicente.O primeiro Presidente conhecido do concelho de Santana foi um vereador da Câmara Municipal de Machico e como primeiro administrador, desde 1848, o Capitão Luís Acciaioly.

Inicialmente o concelho de Santana constituía-se pelas freguesias do Arco de São Jorge, São Jorge, Santana, Faial, São Roque do Faial e Porto da Cruz. A última freguesia referenciada foi desanexada do concelho de Santana por Decreto de 15 de Outubro de 1852 e anexada ao concelho de Machico. A 5 de Julho de 1955, o Decreto nº 40.221 fixou os atuais limites do concelho de Santana.

Mais recentemente, a 1 de janeiro de 2001 Santana foi elevada à categoria de cidade, sendo por isso considerada a primeira cidade do século XXI.

 

Queimadas - Fotografia JFigueira

Freguesia de Santana

A freguesia de Santana foi criada por alvará régio a 2 de junho de 1564. É a terceira freguesia com maior área do concelho com cerca de 18 km2 e 3 375 habitantes.

O seu nome deve-se à sua patrona, Santa Ana, em honra da qual foi edificada uma igreja em 1689.

 

Faial - Bilhete Postal do Séc.XX

Freguesia do Faial

Com cerca de 1 567 habitantes e uma área de 22,60 km2, esta freguesia deve o seu nome a uma concentração relativa de faias que aí existiam. A freguesia do Faial foi criada a 20 de fevereiro de 1550, por alvará régio.

Alguns historiadores defendem que, juntamente com a freguesia de São Jorge, esta terá sido uma das primeiras freguesias a ser povoada na costa norte da Ilha da Madeira

 

São Jorge - fotografia Perestrellos

Freguesia de São Jorge

Esta freguesia com cerca de 18,3 km2 de área e 1 473 habitantes, segundo alguns historiadores, terá sido uma das primeiras freguesias do Concelho a ser povoada. O seu núcleo data do século XVI e localiza-se na zona do Calhau de São Jorge, junto ao mar.

São várias as hipóteses para a atribuição do nome à freguesia, uma delas afirma que foi escolhido São Jorge, o santo guerreiro, para padroeiro por analogia das suas forças às das ribeiras que circundam a freguesia.

 

São Roque do Faial - Fotografia Perestrellos, 1940

Freguesia de São Roque do Faial

A freguesia de São Roque do Faial foi criada por alvará régio de 24 de julho de 1848, durante o reinado de D. Maria II. Esta freguesia conta com 736 habitantes, dispersos por uma área de 15,9 km2, que se estende desde o Chão da Ribeira ao Pico do Areeiro.

O seu nome tem origem no padroeiro de uma antiga ermida, que posteriormente deu origem a uma primeira igreja, no Chão da Ribeira, por volta de 1551. Em 1883, a igreja foi levada pelas águas, tal como foram vários terrenos agrícolas.

 

Arco de São Jorge - Fotografia Perestrellos

Freguesia do Arco de São Jorge

O seu nome deriva da forma em arco das montanhas que a circundam, e do facto de ter pertencido à freguesia de São Jorge, até 1676, ano em que o Arco de São Jorge se tornou uma freguesia autónoma. Das seis freguesias do Concelho, esta é a mais pequena em extensão, com 3,5 Km2.

 

Vale da Lapa - Fotografia Perestrellos

Freguesia da Ilha

A freguesia da Ilha é a mais recente das freguesias do Concelho, criada em 1989, ano em que se desanexou de São Jorge. O seu nome está relacionado com a sua localização entre duas ribeiras, assemelhando-se a uma ilha.

Com 15,4 Km2, e cerca de 255 habitantes, a maior riqueza desta freguesia é a natureza. Desde as reservas naturais da Achada do Marques ao Caldeirão Verde, às quedas de água e ao património geológico.